JIU-JITSU - A ATIVIDADE MAIS COMPLETA PARA O SEU FILHO

Do ponto de vista do Neuro-desenvolvimento e autorregulação emocional, o Jiu-Jitsu intervém de uma forma muito eficiente na estimulação das capacidades cognitivas das crianças e na construção de um perfil emocional com competências de autorregulação.

Os dojos – local onde se praticam artes marciais japonesas – de Jiu-Jitsu de norte a sul do país estão cheios de histórias de sucesso de crianças, catalogadas como “casos perdidos” que, complementarmente aos seus tratamentos, utilizaram o Jiu-Jitsu como forma de ganharem competências cognitivas e emocionais que não tinham.

O próprio pai do Jiu-Jitsu Brasileiro, Carlos Gracie, tinha hiperatividade e comportamento antissocial e o seu pai colocou-o a treinar Jiu-Jitsu tradicional Japonês, como forma de acalmar o “gato ruivo”, como lhe chamavam na altura devido à sua inquietude e cabelo ruivo.

Com o passar dos anos, juntamente com o seu irmão Hélio Gracie, não aprendeu só o Jiu-Jitsu tradicional. Por serem magros e pequenos, adaptaram e transformaram a vertente japonesa que dependia muito da força e condição física. Assim, nasceu o sistema de combate corpo a corpo mais eficiente do mundo, o Gracie Jiu-Jitsu ou Jiu-Jitsu Brasileiro.

O Jiu-Jitsu é conhecido como o xadrez das artes marciais devido à sua complexidade técnica, pois utiliza predominantemente encadeamentos de chaves, estrangulamentos e alavancas para dominar os seus adversários. Tal como no xadrez, a sua aprendizagem é complexa mas “simples” assim que se adquire a base, mas ao mesmo tempo tem uma complexidade infinita.

 O “boom” mundial do Jiu-Jitsu aconteceu nos anos 80, quando a família Gracie vai para os Estados Unidos e choca o mundo dos desportos de combate. Deste modo, estes colocaram os seus estudantes menos robustos fisicamente a lutar em estilo “vale-tudo” contra oponentes de outros estilos, mais fortes e mais pesados. Ao dominarem facilmente os seus adversários e ao ganharem esses combates, foi criado um novo paradigma nas artes marciais que ainda hoje se mantém e que colocou o Jiu-Jitsu como o mais eficiente desporto de combate do Mundo.

No entanto, este aspeto é apenas uma pequena parte do que é o Jiu-Jitsu.

À parte da sua eficácia técnica e dos benefícios extraordinários para o desenvolvimento físico do seu filho, o processo de aprendizagem provoca, do ponto de vista do neuro-desenvolvimento, uma explosão no cérebro do praticante! Ao aprender e praticar Jiu-Jitsu, ele é “obrigado” a utilizar zonas elevadas do seu funcionamento executivo para aprender instruções e modelos complexos de aprendizagem não linear e de múltiplas soluções. Em suma, a aprendizagem do Jiu-Jitsu, do ponto de vista cognitivo, é uma “bomba” para o cérebro do seu filho, estimulando permanentemente todas as áreas do seu cérebro desde a atenção, a concentração, a memória, a tomada de decisão, a criatividade e a coordenação psicomotora.

Do ponto de vista comportamental e emocional, tem uma ação incrível sobre a autorregulação e tolerância da frustração do praticante. A aprendizagem de Jiu-Jitsu é tão complexa que requer, nos primeiros tempos, muitas horas de treino e meses a lidar com a frustração de ter que “perder” para os colegas com mais tempo de treino. Na verdade, este convívio com a suposta “derrota” vai durar no decorrer de toda a vida do praticante de Jiu-Jitsu e é aqui que este vai buscar a sua determinação e força.

A primeira lição que se aprende é que há vezes em que ganhamos o combate e há vezes em que aprendemos, mas nunca perdemos! O praticante de Jiu-Jitsu vai aplicar esta máxima durante toda a prática e vai extrapolar para fora dos tatamis – superfície destinada à prática de alguns desportos de combate. Independentemente do que se faça profissionalmente ou academicamente, um praticante de Jiu-Jitsu está formatado desde cedo a esta mentalidade e disciplina e vai aplicá-la em tudo o que faça dentro e fora dos tatamis.

Em conclusão, se me perguntarem do ponto de vista profissional e pessoal, qual a melhor atividade extracurricular para o teu filho, a resposta é Jiu-Jitsu! Porquê?

- Trabalha as competências emocionais e de autorregulação fundamentais à integração social do seu filho;
- É um meio que lhe dá valores sobre humildade, ajuda ao próximo e permite retirar benefícios colaterais de todas as suas experiências, até mesmo das “derrotas”;
- É um meio cheio de bons exemplos e mentores que o ajudam e encaminham no seu percurso e ajudam a consciencializar todas as suas dúvidas e desafios;
- Do ponto de vista físico trabalha não só a sua resistência cardiovascular, bem como aumenta a massa muscular do seu filho devido a ter igualmente uma forte componente isométrica;
- É a atividade mais completa do ponto de vista da estimulação cognitiva que existe, funcionando como uma bomba de estímulos para o Neuro-desenvolvimento do cérebro do seu filho.

O que te falta para inscreveres o teu filho no Jiu-jitsu? Ele vai agradecer-te eternamente, pois o Jiu-Jitsu vai, sem dúvida, mudar a sua vida. E, lembra-te: se não desistires, ele também não desiste!



via - Elefante de Papel